28.2.05

Beleza Americana

O Oscar, ah, o Oscar...

Quando a gente baixa a guarda, não é que ele contra-ataca (hem, Clint Eastwood?!) Quando havia muito já se cessara crer nessa premiação assim tão longa e assim tão cafona e assim tão mercadológica e assim tão injusta que todos simplesmente amam odiar, eis que ela surpreende.

Ao que interessa, então:

"Menina de Ouro" consagradíssimo, premiadíssimo. E isso é, vejam só, justíssimo. Ou, para não dizer que não se respeita opiniões, ao menos mais do que justificável. Porque "Menina de Ouro" é bom pra caramba; é um filme de apogeu de Clint Eastwood - como ator, como narrador, como ser humano. Sim, como ser humano porque este filme é uma angustiante e belíssima sonata sombria, um retrato do mundo sem maquiagem e sem subterfúgios, que vai às últimas consequências porque, acreditem os incrédulos, a vida muitas vezes vai até as últimas consequências. E arde de tanto doer e é injusta (e onde está o que se poderia chamar de verdadeira justiça?) e cria corações mortos de tanto sangrar como os do personagem central. Ou que sangram até a morte, como o da personagem central. E só mesmo um homem com determinada visão de mundo ou com determinada vivência é capaz de um filme dessa brutalidade com essa sutileza. E Clint Eastwood foi, é, aqui, esse homem - e não há piscadinha da adversária que estrague o que ele alcançou (hem, Isabel?!).

Logo, que Hollywood conceda sua honra anual máxima a um filme dessa natureza não deixa de ser espantoso. Será um reconhecimento de uma indústria que produz entretenimento, ou seja, que supostamente produz momentos felizes, de que o mundo não anda (porque não é) assim tão feliz? Terá isso alguma coisa a ver com George Bush?? Blargh... não vamos ser políticos! Porque "Menina de Ouro" é humano demais para misturarmos com determinadas circunstâncias.

Pois bem, há mais "justiça" nessa fornada. Porque Hillary Swank ganhou mais um Oscar, assim, em seguidinha do primeiro (alguém sabe mencionar algum filme que ela tenha feito entre "Meninos Não Choram" e esse?). E Morgan Freeman, aquele poço de verdade, foi reconhecido também.

E Cate Blanchett, ah, Cate Blanchett... (Não é preciso dizer mais nada. Até porque já disse em "Sobre o assombro de ser Cate Blanchett" e em "Sobre o assombro de Cate ser Kate").

E Clint Eastwood, uma vez mais, foi reconhecido o melhor diretor. E Martin Scorcese que desculpe, mas era ele, não tinha como não ser. Desde "Os Imperdoáveis", seu Oscar anterior, Clint adquiriu um complexo hábito de só fazer filmes bons - e alguns esplêndidos, como "Sobre Meninos e Lobos" e esse aqui.

Também é bom dizer que "Brilho Eterno de uma Mente Sem Lembranças", filme acachapante, e "Sideways", filme belo, tiveram seus roteiros reconhecidos. E muito "justamente".

No mais, o mais. A canção de "Diários de Motocicleta", primeira em espanhol a ser indicada ao Oscar, venceu. E seu autor, não convidado a cantá-la na cerimônia de premiação, agradeceu cantando-a. Justo, belo, comovente.

Por fim, descobri, depois de pelo menos 11 anos de acompanhamento fiel do Oscar, que assisti-lo fazendo apostas é muito mais divertido. Muito mais.


PS: Para não dizer que tudo aqui é muito sério, um pouco de futilidades. Na categoria "mulher mais bonita da noite", Kate Winslet era candidata fortíssima, estava quase ganhando. Até aparecer Giselle. Ah, Giselle... Será que essa mulher existe de verdade?

2 comentários:

marco disse...

cate e kate eram as mais belas :)

caroline leone disse...

eh verdade, gisele estava bela...
o vestido da hilary uma maravilha.
a meia azul do kaufmann imperdivel.

e foi justo muito justo.
que cara do scorcese. nao conseguiu se conter.
mas, o negocio eh o seguinte: tem q fazer filme bom. avidador eh chato demais, e ruim demais. me entretenha direito, por favor.

melhor atriz foi a melhor atriz mesmo. e rafa, a menina fez 9 filmes depois de boys don't cry!!!
eu me lembro só do Insonia. mas o imdb fala de 9!!! 9!!! nunca ia imaginar...

me escandalizei com o premio de melhor fotografia. aviador????? como assim???
aviador parece os clipes ultra telecinados do leandro e leonardo com aquela grama azul turquesa....

e o premio de montagem??? devem estar brincando. aviador??????? pelamordedeus. pra onde vai o mundo???

bom, pruma cerimonia tao grande, tive só esses dois choques.

ah, rafa, se nao pode crer. o curta que ganhou, chama wasp....adivinha onde ele passou??? na MESMA sessão que o Dalva em barcelona.... fiqeui pasma qdo vi a mulher sentada lá. o filme é M-A-R-A-V-I-L-H-O-S-O. acho q tinha te falado dele. e tudo a ver com o Dalva. mesmo tema, inclusive. mas claro, 100 anos luz de distancia (ou talvez não..........)