12.3.06

momento intimo - universo particular

Minha relacao com a arte nunca foi simples.

Eh parte tao grande da minha vida que estah na minha cabeca permanentemente. No corpo, ateh.

Orbita o universo ao meu redor e permeia meu infinito particular. Aparece em meus filmes, em todas as minhas (melhores) conversas, em minhas decisoes, pauta meu cotidiano.

E dentro do oceano artistico, algumas pessoas sao mais importantes do que outras, numa esfera afetiva propria. Sao nomes que, quando evocados, sentimos como se estivessem falando de nossa mae, nosso pai - alguem pessoal e intransferivel. Sao artistas que nos fundaram ou nos quais atamos fortes lacos emotivos, e que, assim, passam a ser "nossos". Falam deles, eh de nos que estao falando.


Marisa Monte desempenhou um papel crucial nos meus 17 anos, quando lancou "Memorias, Cronicas e Declaracoes de Amor". Onipresente na minha historia musical familiar (assim como Simone, vivia do radio de minha avoh) desde que, com menos idade do que eu tenho hoje, cantou "Bem Que Se Quis", MM se fez uma paixao autonoma somente na atual decada. Foi quando eu (re)descobri seus discos anteriores e sua historia pela minha propria otica e passei a amar enlouquecidamente sua voz e sua figura.

Em 6 anos de hiato, isso tudo arrefeceu.

Mas, assim como sempre aconteceu com, digamos, Chico Buarque (para soh ficar no exemplo musical), falou "Marisa Monte", falou comigo.

Amanha, enquanto eu estiver cruzando o Atlantico de Miami para Paris, Marisa Monte estarah colocando nas lojas dois novos discos. E, diferentemente do que ocorreu com "Memorias..." (cd e dvd), "Tribalistas" (cd e dvd) e com a reedicao de "MM", "Mais" e "Barulinho Bom" (em dvd), eu nao vou estar logo de manha nas lojas para ser o PRIMEIRO a compra-los.

E, sinceramente, devo admitir que o coracao doi apertadinho por causa disso.

Aos que eu sei que provavelmente adquirirao "Universo ao Meu Redor" e "Infinito Particular" ainda nas primeiras horas da manha (alo, Mariana Bastos, Thelma, Isabel, Marco Barreto!!!), fica minha pequena e sincera inveja.


Oucam como se fosse, naquele momento, o(s) disco(s) mais importante do mundo. E com o coracao acelerado.

Eh o que eu faria.

3 comentários:

Laura disse...

Rafael se eu fosse você eu pediria pra alguém do Brasil enviar pelo correio os CDs via correio pois vale a pena. Meu preferido tem sido em especial o cd "Infinito Particular". A música "Vilarejo" não sai do "repeat". Beijinhos

marco disse...

aqui não se fala em outra coisa.

Anônimo disse...

to indo na looooja


maaanzer